Trabalho em altura – NR 35

A Norma Regulamentadora 35 – que orienta sobre o trabalho em altura –, conhecida como NR 35, é fundamental para garantir a segurança dos trabalhadores. Ela determina os requisitos mínimos necessários para a realização de trabalhos em altura, sendo altura considerada atividades realizadas a mais de dois metros do chão e com risco de queda. Isso inclui o planejamento, assim como a organização e a execução das atividades dos profissionais.

O que é a NR 35?

Em termos gerais, é possível dizer que a NR 35 garante que o trabalhador envolvido, tanto de forma indireta quanto indireta, opere com saúde e segurança durante o trabalho em altura.

Uma das principais dúvidas que acometem os gestores da área operacional, diz respeito à altura necessária para se enquadrar dentro da Norma Regulamentadora em questão.

Assim, é fundamental informar que todas as ações realizadas em um local acima de dois metros do nível do chão são consideradas trabalhos em altura.

Quedas por altura: A NR 35 visa diminuir esse tipo de acidente

Uma das principais causas de mortalidade entre os trabalhadores atuantes na construção civil é a queda por falta de equipamentos de segurança.

A Norma Regulamentadora 35 foi criada com o objetivo de reduzir o índice de mortalidade decorrente de quedas durante o trabalho em alturas. Para salvaguardar a saúde e a vida dos colaboradores, a NR 35 exige que as empresas proporcionem aos colaboradores:

  • Equipamentos de segurança e proteção individual, além de sistemas de ancoragem;
  • Capacitações e treinamentos regulares (em especial, se a empresa adquire novos equipamentos e insumos de segurança);
  • Equipe pronta para atender emergências;
  • Realização de um plano de atividades em altura e o cumprimento rigoroso do mesmo.

Responsabilidade do Empregador

A Norma Regulamentadora determina uma série de responsabilidades à empresa e esta deve cumpri-las com eficiência. A seguir, algumas das principais especificações:

  • Determinação de procedimentos-padrão para a realização de trabalhos em altura;
  • Efetuação da Análise de Risco (AR) e caso seja aplicada, promover a emissão da Permissão de Trabalho (PT);
  • Caso a empresa contrate outra organização para realizar certas atividades, é fundamental que verifique se a mesma cumpre com as normas de proteção e segurança estabelecidas pela NR 35;
  • Garantia de adoção de medidas de segurança e proteção estabelecidas pela Norma Regulamentadora em questão;
  • Fornecer aos colaboradores informações atualizadas sobre medidas de controle e riscos relacionados as práticas laborais;
  • Oferecer autorização para o trabalhador que deseje trabalhar em altura, após comprovar que o mesmo é opto para tal atividade;
  • Garantia de que a empresa suspenderá as atividades em altura quando verificar que a realização da mesma, pode prejudicar ou colocar em risco a vida dos colaboradores. Isso se aplica, em especial, às condições não previstas.

Responsabilidade do Colaborador

No que concerne a responsabilidade conferida ao empregado, as principais diretrizes da NR 35 são:

  • Cumprimento das disposições da Norma Regulamentadora;
  • Colaboração com o empregador no sentido de se atentar aos devidos cuidados durante o trabalho em altura. Isso inclui o uso do equipamento obrigatório, cumprimento da norma, e a responsabilidade com os companheiros de equipe;
  • Possibilidade de recorrer ao direito de recusa. Esse trata da interrupção do trabalho caso o colaborador detecte risco iminente e grave;
  • Cuidado com as outras pessoas que trabalham no local. Isto é, evitar a realização de ações que possam afetar o bem-estar dos outros colaboradores e não ser omisso no trabalho.

A Análise de Risco na NR 35: Por que é tão importante?

De acordo com o Ministério do Trabalho, 30% dos acidentes que acontecem nas obras estão ligados à queda de altura.

De acordo com o Item 35.4.5.1 da NR 35, a análise de risco deve considerar a sinalização e o isolamento do perímetro da área onde o trabalho está sendo realizado, o lugar onde o trabalho é feito, a colocação de pontos e sistemas de ancoragem.

Outro ponto de fundamental relevância, é ter em mente as condições meteorológicas necessárias para o trabalho, e de forma alguma, permitir que os trabalhadores assumam riscos perante condições climáticas adversas.

A utilização dos sistemas de proteção, tanto coletivos como individuais, também é um ponto importante dentro do item que se refere à análise de riscos dentro da NR 35. Além dele, neste ponto da norma, exalta-se o cuidado com o risco de queda de ferramentas e materiais, os trabalhos acometidos por riscos específicos, condições de impedimento de trabalho em altura, a adoção de um correto sistema de comunicação e supervisão adequada do pessoal.

Após a realização da correta análise de risco, é fundamental investir considerando três frentes: a eliminação, a neutralização e a sinalização do risco.

Em suma, respeitar a Norma Regulamentadora 35 é indispensável, não somente para o bem-estar e saúde dos colaboradores, como também diminui os gastos da empresa.

Nesse sentido, vale lembrar que adotar sistemas de proteção e segurança evita despesas com acidentes, indenizações e potencializa a produtividade dos colaboradores.

Portanto, prevenir acidentes e se enquadrar na NR 35 é a melhor opção, tanto para as organizações quanto para os colaboradores. Caso tenha alguma dúvida sobre o assunto, entre em contato conosco!

Tire suas dúvidas e saiba como podemos ajudá-lo.

Solicite um Contato »

Solicite uma proposta

Preencha os campos abaixo corretamente
  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.
Logo bmpc